Quando me surpreendi nem tão positivamente assim.

11:20


Sabe quando você quer muito uma coisa que é difícil de acontecer, mas aí surge uma grande oportunidade para que aconteça? Foi assim que começou o meu dia.
Até mesmo eu, que não sou das mais otimistas, me enchi de esperança e expectativa.
Acreditei que era um sinal de Deus e uma chance que a vida decidiu me dar de presente.
Acreditei também que eu acabei querendo isso por muito tempo porque no fim das contas era para ser meu de fato.

Foi aí que o dia ficou um pouco mais cinza e o meu coração também: não deu certo. Não aconteceu. Me abato facilmente com esse tipo de coisa por não ter o costume de depositar toda a minha fé de que vai dar certo - ainda não sei se é por pessimismo ou medo de me frustrar, afinal, quando isso acontece, eu caio com tudo.
Como de costume, chorei por alguns minutos.
Me tranquei no meu quarto.
Silenciei o celular e as vozes que surgiam (da TV ou da rua) ao meu redor.

Por alguns instantes eu me rendi ao desânimo.
Questionei o porquê desta oportunidade ter aparecido e questionei mais ainda o porquê de não dar certo, mesmo com toda a vontade que havia dentro de mim.
Tentei me consolar com a explicação de que algumas coisas se vão para que outras melhores possam surgir.
Tentei botar na cabeça que Deus sabe o que é melhor para mim e que talvez o melhor não seja exatamente o que eu escolhi.

Bem, eu não tenho como confirmar nada disso agora (mesmo confessando que, muitas vezes, o que eu achei que era uma perda, era na verdade um livramento).
Portanto, só me resta me render à tristeza ou renovar a fé e a energia para crer que o melhor está mesmo por vir.
Geralmente, eu ficaria com a primeira opção. Mas hoje eu decidi testar a segunda.
Me levantei da cama como se deixasse nela toda a angústia que havia tomado conta de mim há alguns minutos atrás.
Enxuguei as lágrimas, lavei o rosto e também a alma.
Talvez eu ainda me entristeça mais algumas vezes quando me lembrar do que não foi, mas hoje eu não quero mais sofrer por causa disso. Amanhã será outro dia e, quem sabe, eu também esteja me deparando agora com uma nova (e mais forte) versão minha.

Você poderá gostar também:

0 comentários

Curta