O pássaro que me faz lembrar você.

21:30


Abri os olhos e olhei para o relógio depois de mais uma noite em claro.
Quatro horas da manhã... E nenhum sinal do meu sono.
Fiquei entediada e pensei em desistir e levantar da cama, mas aí eu ouvi o som daquele pássaro que sempre nos visitava quando chegávamos das nossas farras.
Será que você também se lembra dele?

A gente chegava morrendo de fome, então comíamos alguma coisa, relembrávamos algumas cenas, riamos de tudo e, finalmente, caíamos exaustas na cama, ao som do pássaro que nos alertava que já era manhã.
Então, depois de algumas horas, você acordava com a cara amassada e eu com a maquiagem toda borrada.
Era sempre você que me maquiava e eu tinha a sensação de que você se divertia com isso.
Ás vezes acho até que eu era a sua boneca pequenina de estimação, sabe?
E olha, eu confesso que eu também me divertia, mas não conta para ninguém.

“Não é porque você tem pele boa que não precisa tirar a maquiagem antes de dormir. Está parecendo um panda com estes olhos pretos!”
Eu ria e tentava justificar a minha própria preguiça, mas sempre acabava levando a mesma “bronca” depois.

Em alguns momentos, nós passávamos o dia todo comendo, bebendo água ou refrigerante gelado para curar a ressaca, cochilando e conversando embaixo das cobertas ou com algum filme rolando no fundo.
Em outros, descansávamos o necessário e já partíamos para outra noitada, ouvindo o som alto do seu carro, enquanto cantávamos e ríamos sobre tudo.
Chegamos a fazer isso no momento que mais parecia inoportuno, você lembra?
“Nosso dia foi horrível e amanhã será pior, então vamos colocar esse rock no último para a gente extravasar um pouco e aguentar o que está por vir!”
E assim fizemos...
O dia seguinte foi mesmo terrível, mas ao menos conseguimos nos distrair e ganhar um pouco de força juntas. E nós éramos mesmo muito boas em fazer isso.

Mas, infelizmente, hoje nossas vozes e forças não se encontram mais.
Hoje, não nos distraímos, não discutimos, não nos encontramos nem em noitadas e nem durante o dia.
De nós, só restou o canto do pássaro da manhã... E toda vez que eu escuto o canto dele, eu me lembro, cheia de saudade, de você.

Você poderá gostar também:

0 comentários

Curta