Tua forma sutil de dizer que ainda se importa.

21:46


Sim, eu percebo a tua forma (tão) sutil de dizer que ainda se importa.
Ela é quase como uma voz baixinha que a gente precisa chegar muito perto para escutar... É como se você estivesse do outro lado da porta, ficasse parada ali por alguns minutos e desistisse de bater ou tentar abrir por medo de não ser atendida, não encontrar ninguém ou ver uma pessoa que você já não reconhece mais.
Às vezes eu até tenho vontade de te dizer que se você batesse mesmo na minha porta, eu iria sorrir ao abri-la e te ver. Talvez eu te daria um abraço apertado e repentino, talvez eu só conseguiria dizer um "oi" afetuoso e tímido. Para falar a verdade, eu não sei.

A gente tenta idealizar como vamos reagir, mas nessas horas (muitas vezes) é o sentimento que reage por nós. (...) Mas olha, eu só queria mesmo é que você soubesse que eu também já te esperei do outro lado da sua porta. Também hesitei em te pedir para entrar, não sei se por medo de ser mal recebida, por não enxergar em você quem eu tanto amei ou por medo de me lembrar do quanto é bom estar com você a ponto de não querer mais ir embora.

Você poderá gostar também:

0 comentários

Curta