Meia hora para mudar a minha vida.

12:18


"Entre por essa porta agora... e diga que me adora... você tem meia hora pra mudar a minha vida".

Imaginei você passando pela porta mil vezes e dizendo não só que me adora, mas também pedindo perdão pelo tempo em que não foi capaz de reconhecer que precisava mesmo de mim.
Idealizei (de forma muito egoísta, eu sei) você implorando para que eu não desistisse de nós, repetindo - de forma mais convincente dessa vez - que realmente quer fazer tudo diferente agora.
Vi você afirmando que quer estar ao meu lado, que quer tentar... Porque viu que não existe nada igual ao que acontece entre a gente, porque sente a minha falta a cada segundo e esse silêncio entre nós virou um veneno pra você. Escutei até que você se arrependeu de ter sido tão indiferente quando eu mais precisava, tão descuidado com o nosso caso, tão inconstante com a nossa história... história que hoje você quer ter de volta.

Então decidi te dar a última chance de provar que existe sentimento aí do outro lado, que ainda há vontade de tentar.
Me mostra que eu estou enganada e clareia a minha mente. Mais que isso, me faça sentir.
Pela primeira vez, lute por mim, demonstre sem medo, faça acontecer. Do contrário, deixo não só você livre, como também me liberto dessa história e desisto de continuar me esforçando por ela. Sigo em frente com os olhos e com o coração aberto... Porque meu bem, chance você teve de sobra. E paciência eu tive de sobra também, mas chega uma hora em que as coisas precisam ser definidas e declaradas.
E essa hora é agora... Seja para um recomeço, uma continuidade ou um fim.

[... E agora vi que aquela porta está trancada. E ainda que não estivesse, sei que você não entraria. Aliás, você nem bateria nela ou sequer chegaria até ela. Porque você não veio e nem pretende vir. Você não me adora, não sente falta, não se arrepende e, principalmente, não se importa. Quando o vazio preenche a sala falando mais alto que o som de que mil palavras, o final do que talvez nunca nem sequer tenha começado é, finalmente, decretado. É hora de sair de cena, poupar esforços por entender que já fiz o que podia, aquietar o meu coração e dar as mãos para a minha razão... É preciso me libertar disso que não vai pra frente, desapegar e acreditar que nada é por acaso. Mas, acima de tudo, é preciso encarar que não devo esperar nem uma e nem meia hora por você. Preciso mesmo é mudar a minha vida sozinha, aprendendo a esquecer quem "me roubou a solidão, sem em troca me oferecer verdadeira companhia". E com essa sensação de sobriedade, que às vezes é um tanto quanto incômoda, eu sigo com a fé de que o melhor ainda está por vir... E para que isso aconteça, eu preciso mesmo deixar você ir.]

Você poderá gostar também:

0 comentários

Curta