Vamos nos perdendo mais um pouco até não restar mais nada além das lembranças do que um dia fomos.

06:10


Eu queria que nada mudasse entre nós.
Queria acreditar que a distância não enfraqueceria o nosso laço, que a falta de abraço seria só um motivo para aumentar a saudade e a consciência da importância de cada uma em nossas vidas... Mas não foi assim.
Os dias passam e a gente se perde um pouco mais.

Quando celebro uma conquista, talvez você nem veja, nem saiba ou, quando vê, não é capaz - por algum motivo que desconheço e nem quero conhecer- de celebrar junto comigo, mesmo que de longe. Quando choro por alguma perda (além da nossa), você não está aqui - nem fisicamente nem de coração.
Provavelmente acontece a mesma coisa quando são tuas vitórias e dores porque nos perdemos mesmo.

Não honramos as promessas de que sempre seria igual e não temos mais como restaurar o que já não pode mais ser como um dia foi. Fugiu do nosso controle e a gente sabe bem que esse tipo de coisa acontece e é inevitável.
É claro que lamento e que, vira e mexe, isso me entristece... Mas eu também entendo que não há mais nada a ser feito.
Fizemos e ainda fazemos escolhas muito diferentes porque somos diferentes. Antes, isso não era empecilho algum, mas hoje parece ser.

Talvez você não me entenda e eu também não entendo mais você.
Haverá um dia em que nem nos reconheceremos mais... E eu sinto que o tempo vai contribuir para que um dia a gente nem sequer se conheça. Ele vai amenizar a falta, vai apresentar novos cenários, novas pessoas e novos momentos.
E nós? Nós vamos nos perdendo mais um pouco até não restar mais nada além das lembranças do que um dia fomos.
Hoje isso me dá um aperto no peito, mas amanhã talvez seja só mais um dos meus inevitáveis esquecimentos...

(Porque, infelizmente, a vida também é feita de partidas.)

Você poderá gostar também:

0 comentários

Curta