Nosso próprio bem.

10:49



A necessidade, muitas vezes, nos leva a aceitar o inaceitável. 
Nos leva a fechar os olhos para o que é claramente errado. 
Nos leva a ignorar a ausência do respeito e as sutis provas da falta de caráter. 
Corremos contra o tempo em busca de uma saída que, por tamanho desespero, soa mais como uma salvação, como uma chance de nos libertar do que anda nos aprisionando. 
O problema é que este desgaste todo destrói a gente aos poucos. Perdemos a alegria, entramos no modo automático de nos acostumar com o que nos faz sofrer e nos abatemos como alguém que está sobrevivendo e não vivendo. Aí eu penso: quanto vale a nossa saúde mental? Quanto vale a nossa maior necessidade, que é a de ser feliz? Será que há um preço para isso? Desconfio que não. Talvez seja por isso que decidi me despedir do que anda me paralisando, me tornando alguém que não quero ser e tirando o meu prazer pela vida. 
Não é possível errar quando nossas escolhas são pautadas em nosso próprio bem. Ele vale mais do que qualquer coisa.




Você poderá gostar também:

0 comentários

Curta