Inteira.

14:51


...Até que meu coração aquietou. 
Já não sinto aquele frio na barriga e nem mesmo aquele encanto que tumultuava meus sentimentos, porque não há ninguém por quem eu consiga me interessar. Não há sequer um velho amor que ainda me balance e nem mesmo restos de uma mágoa do passado. Nada. Absolutamente nada. 
Talvez o tempo tenha me deixado mais exigente. 
Talvez eu esteja mesmo gostando da ideia de estar sozinha.
Talvez as decepções tenham me deixado mais realista. 
Talvez eu precise mesmo é deste tempo só com a minha companhia. 
E o mais intrigante é que não me sinto nem um pouco vazia pelo fato de não ter nenhum resquício de uma conquista, de um flerte ou de qualquer envolvimento. Pelo contrário, acho que esse amor, que transborda em mim por tudo o que já enfrentei e, principalmente, pelo que me tornei, faz com que eu me sinta mais completa do que nunca. 
Já não preciso mais de um abraço para me acalmar, de um beijo para me confortar ou de uma mão para segurar. 
Finalmente me dei conta de que eu precisava olhar para dentro, cuidar do que é realmente meu e viver esse momento. Se no caminho surgir alguém que chame a minha atenção, pode até ser que me arrisque. Mas tem que valer mesmo a pena... Não me entrego pra nada menos do que eu mereça agora que me descobri inteira.




Você poderá gostar também:

0 comentários

Curta