Fiz de mim o meu próprio ombro amigo.

16:25


Já perdi e já quase perdi pessoas realmente importantes em minha vida. Isso faz com que eu, frequentemente, demonstre afeto por quem eu amo, porque penso que pode ser a minha última chance de fazer isso. 
Alguns podem achar forçado, exagerado, mas eu não ligo. Prefiro ficar com a minha consciência e meu coração tranquilos, deixando que as pessoas saibam o que significam para mim, sem a chance de me arrepender do que não disse ou do que não fiz enquanto elas ainda estavam aqui. Não faço isso por esperar uma retribuição ou para despertar uma admiração, mas sim porque eu me sinto melhor dessa forma... Mas sou humana e às vezes também crio expectativas, às vezes também preciso de carinho, de apoio. E nessas horas é inevitável perceber que quase sempre a gente se doa mais do que recebe. 
E aí você simplesmente se cansa, porque percebe que algo dentro de você grita por uma reciprocidade. 

(...) Então agora eu preciso que entenda se eu não puder ouvir os seus problemas ou sorrir para as suas conquistas. Não me leve a mal, não é um ato de egoísmo com você, e sim um ato de amor comigo, que fiz de mim o meu próprio ombro amigo.




Você poderá gostar também:

0 comentários

Curta