"Como eu era antes de você", saudades e despedidas.

14:09


Assisti ao filme "Como eu era antes de você" e percebi que, mesmo sabendo que as despedidas fazem parte da vida e que tudo pode mudar em questão de segundos, não estamos preparados para lidar com o fim, seja o nosso (através de uma mudança que nos vire do avesso), seja o de uma relação ou até mesmo o fim trazido pela morte. 
Essa reflexão ganhou força por eu estar vendo o sofrimento de alguém que está prestes a perder uma das pessoas que mais ama. Aí eu me lembrei do quanto é difícil estar preparado para dizer adeus a quem amamos. Alguns dizem que o que causa esse sofrimento ao ver alguém partir, é o apego. Nos acostumamos tanto com a presença que nos sentimos incapazes de lidar com a ausência. Mas será mesmo que é só apego? Será que a saudade faz parte dele ou é um sentimento à parte de quem ama de verdade? Eu não sei, talvez estas questões do coração sejam complexas demais para a gente encontrar uma razão. 
O que eu sei é que dói se despedir de quem faz parte da gente, talvez porque assim a gente também se despeça de uma parte nossa que vai embora junto com quem se foi. Aí a saudade é dupla: sentimos falta do outro e também de quem nós éramos quando ele ainda estava aqui. 
Em outras vezes, temos que nos despedir de quem fomos, do que fazíamos ou de algo que tanto nos fez feliz... E lidar com toda essa carga é um grande desafio, nem sempre o tempo é capaz de curar, pois as mudanças definitivas são completamente imunes à ele. E então, a vida nos mostra que o fim é inevitável e que nem mesmo um amor inabalável é capaz de evitá-lo. 
"Você só vive uma vez. É sua obrigação aproveitar a vida da melhor forma possível". Foi através deste trecho do filme que eu percebi que a única coisa que nos resta é aproveitar todo o tempo que temos para amar. Afinal, não podemos mudar o rumo natural das coisas porque somos pequenos demais para compreender a sabedoria da morte, mas, para a nossa sorte, somos grandes o bastante para amar com todo o nosso coração... (enquanto ainda nos restar algum tempo).


Você poderá gostar também:

0 comentários

Curta