As decepções.

14:58



"Mas você não era assim..." 
Eu não era assim, até que fui tendo uma decepção aqui, outra ali e fui me adaptando à realidade, à nova forma de enxergar o mundo ao meu redor depois de colecionar algumas feridas. Elas cicatrizam, mas a marca permanece para sempre e a mudança foi inevitável.
Talvez, para quem está do lado de fora, tornei-me mais fria, mais distante, mais desapegada. Para mim, que senti tudo aqui dentro, tornei-me apenas mais protetora comigo mesma e mais cautelosa com as pessoas. 
Não sou mais capaz de insistir em relações em que a confiança foi quebrada, não sou mais capaz de me reaproximar de quem já foi desleal e já não sou mais capaz de me forçar a manter em minha vida quem já me provou que não merece fazer parte dela. 
Minha energia eu gasto agora somente com o que vale a pena. Se para alguns isso me torna uma pessoa menos tolerante e amorosa, eu digo que depois de tanto me doar, perdoar e transbordar amor por gente que me apunhalou, eu aprendi a me acolher, a me cuidar e a ser mais amorosa comigo, me amando em primeiro lugar e recusando-me a aceitar menos do que sei que mereço. 
Afinal, as decepções têm o poder de nos distanciar de muita coisa, mas elas também têm o poder de nos aproximar de nós mesmos... (E foi assim que tanta coisa mudou aqui dentro.)




Você poderá gostar também:

0 comentários

Curta